[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

António Ramos Rosa

Vogal Viva

Disponível

Técnica: Serigrafia

Suporte: Papel Rives Tradition 250gr

Dimensão da Mancha: 35x25 cm

Dimensão do Suporte: 35x25 cm

Data: 2005

Nº de Exemplares: 200

Ref: AL012A

PVP: €395

Sócios: €235 ou 50% dedutível em quotas

PREÇO DE SÓCIO ESPECIAL FEIRA DO LIVRO DE LISBOA (até 16 jun/19)
Preço de Sócio posterior: 295€ 

Livro com sete poemas e sete desenhos inéditos. Integra uma gravura numerada e assinada pelo autor.

António Ramos Rosa

Outras obras disponíveis de António Ramos Rosa

Nasce em Faro em 1924.

 

Rumou em direção a Lisboa, aquando do término da II Guerra Mundial, onde viveu intensamente a vitória dos Aliados. Trabalhou no comércio, atividade que logo abandonou para se dedicar à poesia.

 

Nos anos cinquenta torna-se um dos diretores das revistas Árvore, Cassiopeia e Cadernos do Meio-Dia, colaborado também com textos de crítica literária na Seara Nova e no Colóquio Letras, entre outras publicações periódicas. Como poeta, estreia-se em 1958 no jornal «A Voz de Loulé» com o poema "Os dias, sem matéria" e na coletânea “O Grito Claro”. Estava assim criado o movimento da moderna poesia portuguesa onde o autor se movimentava. Escreveu dezenas de volumes de poesia e vários ensaios.

 

Foi distinguido com numerosos prémios nacionais e estrangeiros, entre os quais o Prémio Pessoa, em 1988, o Prémio APE/CTT em 1989, pela recolha Acordes e, em 1990, o Grande Prémio Internacional de Poesia, no âmbito dos Encontros Internacionais de Poesia de Liège.  É considerado um dos grandes poetas portugueses da atualidade. A sua atitude crítica perante a sua própria palavra, fez dele um dos mais esclarecidos críticos portugueses contemporâneos. Em 2001, o poeta lançou mais uma Antologia Poética.

 

Faleceu em Setembro de 2013, em Lisboa.

Ler Mais Ver Obra completa.