[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

Ana Pérez-Quiroga

Portugal

Biografia

Nasceu em 1960, em Coimbra, Portugal. Vive e trabalha entre Lisboa e Xangai. Licenciada em Escultura pela FBAUL, fez o Curso Avançado de Artes Plásticas, do Ar.Co, Mestrado em Artes Visuais Intermédia, na Universidade de Évora e frequenta o 3º ano do Curso de Doutoramento em Artes da Universidade de Coimbra. Bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Expõe regularmente desde 1999, destacando-se as participações institucionais na Culturgest, Lisboa, Portugal – "Disseminações" (2001), Centro de Arte de Salamanca, Espanha – "Comer o no Comer" (2002), Falconer Gallery, Grinnell, Iowa, USA – "Where Are You From?" Contemporary Art from Portugal (2008), MoCA (Museum of Contemporary Art), Shanghai – "Made in Shanghai" (2008) Museu do Chiado/Museu Nacional de Arte Contemporânea– "Arte Portuguesa do séc. XX 1960-2010" (2012) e Palácio dos Duques, Guimarães – "Assalto ao Castelo em 3 Atos". 

Das principais exposições individuais destacam-se, no Museu do Chiado/MNAC – "Breviário do Quotidiano #2" (1999), no Museu Nacional de Arte Antiga – "Natureza-morta" (2004), no Museu Nogueira da Silva, Braga – "From:, To:, Via:" (2012) e no Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira – "Obra sem senão" (2012). Está representada nas colecções do Museu do Chiado /MNAC), da Caixa Geral de Depósitos, da Câmara Municipal de Lisboa e do Museu do Neo-Realismo.

Trabalha essencialmente com instalação e fotografia, abordando temáticas em torno da crítica institucional e da História da Arte, remetendo para um universo pessoal e intimista. Concentra-se sobre os objectos encontrados, na forma das coisas, em imagens de sempre, analisa o corpo, as suas remissões e intersecções, estuda as tradições e as transmutações, trabalha as metamorfoses do tempo esculpidas, tecidas, montadas e instaladas em memórias pessoais, poeticamente transmitidas no silencioso espaço da contemplação.

Ler Mais Ler Menos