Pedro do Vale
14 de Julho de 2021

Pedro do Vale

Um precioso contributo para a iconografia de Fernando Pessoa

O reconhecimento da técnica Litografia por parte de um artista jovem, Pedro do Vale (n. 1990), como medium para o retrato hiper-realista em que se especializou, originou duas soberbas litografias inspiradas na personalidade, no rosto e na figura de Fernando Pessoa. 

 

O Atelier CPS abriu as portas ao artista que explorou o desenho na pedra litográfica e todo o potencial da técnica centenária, acompanhado pela sábia orientação de Mestre Marçal, responsável há mais de 20 anos pelas edições de Litografia e Gravura do CPS.

 

Pedro do Vale junta-se assim à grande linhagem dos artistas criadores de uma iconografia inspirada no genial poeta.

 

"Chevalier de Pas", Litografia, 63 x 50 cm, 2021. Edição de 47 exemplares numerados e assinados.

 

Em "Chevalier de Pas", o artista oferece-nos uma soberba imagem para o primeiro dos heterónimos de Fernando Pessoa (precisamento o Chevalier de Pas) criado em 1894 quando Pessoa contava apenas 6 anos, percorrendo o caminho da infância para a idade adulta.

 

Pedro do Vale "Eu o Fantasma Nascido de Todas as Sensações"

"Eu, o Fanstasma nascido de todas as sensações", Litografia, 62 x 45 cm, 2021. Edição de 47 exemplares numerados e assinados.

 

Partindo do famoso verso de Álvaro de Campos, "Eu, o Fantasma nascido de todas as sensações", Pedro do Vale evoca o jogo dos heterónimos, a diversidade e a complexidade do poeta para dar origem a uma obra ímpar.

 

 

As edições têm uma tiragem limitada de apenas 47 exemplares, em referência simbólica aos anos de vida de Fernando Pessoa.