[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

Saskia Moro

De Arena Y Sal

Data: 22/05/2013 - 23/06/2013

Local: CPS no CCB

Especializada em gravura, Saskia Moro nasceu em Londres em 1967 e formou-se na Universidade Complutense de Madrid, tendo criado em 1989 um atelier em colaboração com a artista Elena Jiménez. Bolseira da prestigiada Fundação Pilar e Joan Miró, tem realizado mostras individuais de pintura, de gravura e de objectos, sob o signo do tempo e suas metáforas, a água e o silêncio. A sua obra está representada em diversos museus e instituições em Espanha, Holanda e Portugal, nomeadamente na Calcografia Nacional de Madrid, na Fundação Pilar e Joan Miró de Maiorca, na Fundação La Caja de Madrid e no Instituto Cervantes de Lisboa. Segundo Maria João Fernandes, da Associação Internacional de Críticos de Arte: “O tempo, o espaço e o silêncio que pauta os seus ritmos têm inspirado a artista que passou em 2003 por uma expressão geometrizante em soberbos jogos de luz com velaturas. Na atual exposição de gravuras que preservam a frescura de um original, explora de um modo muito livre, o espacialismo poético que tem vindo a tornar-se a marca do seu estilo. Contrastes suaves de cores que despertam ressonâncias dos vários elementos da natureza, transparências, associam-se aqui ao espaço marítimo da areia e do sal que dá o título à mostra. Paisagismo anímico, onírico e cósmico que plenamente revela a paixão da artista pela cor e a mestria no seu domínio. Domínio da cor, da sua luz, dos seus fluídos em palpitantes jorros de ouro emaranhados no subtil novelo dos azuis esmeralda, dos verdes submarinos, dos ocres, dos cinzas e dos lilases que parecem brotar diretamente da intimidade de uma natureza encantada. Saskia Moro oferece-nos neste seu recente e magnífico conjunto de gravuras, imagens da areia, da água e da luz, imbuídas de uma doçura e de uma suavidade que nos surgem na sua expressão de uma virginal pureza cósmica, como a própria respiração da poesia.” É igualmente apresentada uma edição especial de serigrafia e gravura, criada pela artista para celebrar a exposição e dedicada aos Sócios e a novos Sócios do Centro Português de Serigrafia.

Ler Mais Ler Menos