[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

António Carmo

O Homem do Acordeon

Disponível

Técnica: Serigrafia

Suporte: Papel Fabriano Tiep GF 290gr

Dimensão da Mancha: 65 x 55 cm

Dimensão do Suporte: 80 x 70 cm

N.º de cores: 63

Data: 2019

Nº de Exemplares: 150

Ref: S35647

PVP: €430

Sócios: €299 ou 6M

VER VÍDEO

Nota crítica

António Carmo

Outras obras disponíveis de António Carmo

Nasceu em Lisboa em 1949 no Bairro da Madragoa. Frequentou a Escola de Artes Decorativas António Arroio, onde cursou Pintura Decorativa. Ainda como estudante começa a frequentar as tertúlias de Lisboa, nomeadamente na Brasileira do Chiado, Café Tarantela, Café Vává, Leitaria Garrett, etc. Na Brasileira, conheceu e conviveu com algumas das figuras conhecidas da cultura nacional, tais como Almada Negreiros, Abel Manta, Jorge Barradas e João Hogan que, em 1970 apadrinhou a sua exposição na Galeria Diário de Notícias, e outros que ainda hoje fazem parte do seu convívio diário, entre estes, Virgílio Domingues, Alberto Gordillo e Luís Lobato. Em 1968 faz a sua primeira exposição individual, na Galeria Nacional de Arte em Lisboa. Depois de 25 de Abril de 1974, executa grandes murais nas Festas do Avante em conjunto com outros nomes da pintura, tais como: Rogério Ribeiro, Cipriano Dourado, Querubim Lapa, Jorge Vieira e Rogério do Amaral. Tem um atelier no Bairro Alto e passa vários periodos na Bélgica, onde expõe com frequência na Galerie L’Oeil, Racines e Galerie Albert I. Em Bruxelas, executa ainda dois murais de grandes dimensões para a ABEP (Associação de Portugueses Emigrados na Bélgica) que foram, recentemente, doados à Câmara de S. Gilles/Bruxelas. Está representado em inúmeros museus e coleções em Portugal e no estrangeiro. Sobre as suas obras afirma: agarro em temas do nosso dia-a-dia e tento exportá-los para o mundo. As características principais das suas obras são a utilização de cores fortes e vibrantes e uma figuração tendente para o exagero das formas. Trata-se de uma pintura lírica, poética, com um colorido muito português!...(citações de António Carmo em entrevista com Ana Maria Albuquerque).

Ler Mais Ver Obra completa.