[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

Pedro Proença

S/ título

Disponível

Suporte: Papel Fabriano D5 GF 210gr

Dimensão da Mancha: 30x23 cm

Dimensão do Suporte: 43x28 cm

Data: 1990

Nº de Exemplares: 500

Ref: AV009

PVP: €75

Sócios: €53

Conjunto que integra uma serigrafia e uma garrafa de vinho tinto Vidigueira 1989. Edição assinada e numerada pelo artista

Pedro Proença

Outras obras disponíveis de Pedro Proença

Nasceu em Lubango, Angola, em 1962. Começou a desenhar desde muito cedo, aos 13 anos dedicava-se à banda desenhada. Estudou na Sociedade Nacional de Belas-Artes em Lisboa, onde conheceu o professor João Vieira, pintor que viria a marcá-lo enquanto artista.

 

Licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, em 1986. Ainda enquanto realizava o curso, começou a intervir no espaço da universidade com Pedro Portugal, fundando o projecto de uma revista intitulada “Homeostética”, a partir da qual se formaria o grupo Homeostético, colectivo que integrou, de início, os nomes de Manuel João Vieira, Pedro Portugal, Ivo e Xana. Fazem a primeira exposição de grupo em 1983.

 

A sua 1ª exposição individual foi em 1984, e a esta seguiram-se importantes participações em exposições em Portugal e no estrangeiro, destacando-se: 1988 - Aperto 88: La Bienalle di Venezia ; 1989 - Frith Street Gallery, Londres. Iª Triennal de Dibuix Joan Miró, Fundação Joan Miró, Barcelona; 1990 - Ultima Frontera, Centro de Arte Santa Mónica, Barcelona. Carnet de Voyages, Fundação Cartier, Juoy-en-Josas; 1991 - Tendências, (em colaboração com Joana Toste) Forum Picoas, Lisboa. Tríptico, Museu van Hedendaags Kunst, Gand. Há um minuto no Mundo que passa / Obras da Colecção de Serralves, (em colaboração com Joana Toste), Fundação de Serralves, Porto; 1992 - Fundação de Serralves: um museu português, Sevilha. Arte Contemporânea na colecção da FLAD, FCG - Centro de Arte Moderna, Lisboa. 10 Contemporâneos, Fundação de Serralves, Porto; 1993 - Western Lines, Hara Museum Arc, Gunma. Almada, A cena do Corpo, Centro Cultural de Belém, Lisboa
- Tradicion, vanguarda e modernidade do seculo XX portugués, Auditório de Galicia, Santiago
de Compostela; 1994 - Drawing towards a distant shore, The drawing Center, Nova Iorque
- Perspectives, La Ferme du Buisson Centre d’art contemporain, Marne-La-Valée
1995 - Extremo Occidente, Rekalde, Bilbao; 1996 - Waves of Influence, Rhode Island School of Design Museum of Art- Waves of Influence, Snug Harbour Cultural Center / Everson Museum of Art; 1997 - Form und Funktion der Zeichnung Heute, Art Frankfurt 1997, Frankfurt
- Diálogos; Ornamental y Decorativo, MEIAC, Badajoz. Linha de Costa/ Kustenlinie, Europaisches Patentamt, Munchen; 1998 - Eccentric Drawing, Frankfurt Kunstverein, Frankfurt
- Der Vogel Selbsterkenntnis, Tiroler Volkskunstmuseum, Innsbruck. Liberamente, Cesena. Contemporary Art From Portugal, European Central Bank, Frankfurt; 2000 - Artistas portuguesas da  colecção dol MEIAC, Fundação D. Luis, Cascais. Galeria Fúcares, Almagro. Fundação de Serralves, Porto. Unesco, Paris; 2001 - Modos Afirmativos e Declinações (exposição itinerante de desenho do M. Cultura); 2002 - 3ª Prémio EDP, SNBA, Lisboa; 2003 - Arte Lisboa 2003, Lisboa. Guardi, a Arte da Memória, Centro Cultural de Belém, Lisboa; 2004 -6=0, Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto. Arco 04, Madrid, Espanha. Foro Sur 2004, Cáceres, Espanha. Arte Lisboa, FIL, Lisboa; 2005 - Arco 05, Lisboa 20 Arte Contemporânea, Madrid, Espanha; 2006 - Arco 06, Lisboa 20 Arte Contemporânea, Madrid, Espanha.
No ano de 1983 ganhou o Prémio Nadir Afonso e foi distinguido com Menção Honrosa no Festival Cagnes-sur-Mer. Em 1985 foi distinguido com o premio Aquisição V Trienal da Índia e em 1993 foi-lhe atribuído o Prémio União Latina pela instalação realizada na sede da Fundação Calouste Gulbenkian. No ano de 1996 ganhou o Prémio Eixo Atlântico e em 1997 o 1º Prémio Salon de Otoño de Plasencia. Encontra-se representado em coleções públicas em Portugal e Espanha, como Fundação de Serralves, Porto; Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; MEIAC, Badajoz; Centro de Arte Rainha Sofia, Madrid.

 

Dedicou-se grandemente ao desenho, como meio preferido, embora como artista polivalente tenha no seu percurso variados mediadores: pintura, ilustração, narrativa, prosa ensaística e até o registo manifesto, tendo assinado vários dos manifestos do Movimento Homeostético. Nos últimos anos tem investido também na área da instalação. 

Ler Mais
Ver Obra completa.