[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

O CPS é...

  

É Sócio CPS há quanto tempo?
Desde a sua fundação, há 33 anos. Ao longo destes anos, a expetativa inicial foi sendo alimentada pela variedade das propostas do CPS. As dificuldades surgiam na hora da  escolha. Os critérios eram múltiplos, muitas vezes ambíguos e, por vezes, contrários: no respeito pela pluralidade do gosto familiar, a escolha não era fácil. Estavam várias razões em causa: umas vezes, a serigrafia, em si mesma; outras vezes, a serigrafia e o autor; outras vezes ainda, o autor; e ainda as situações em que a razão da escolha estava na intenção de oferta.

O que o levou a inscrever-se?
O bom gosto e a atitude empreendedora do projeto do CPS, vocacionado para a dinamização de uma cultura da arte. Poder assim participar deste projeto inovador, de aproximar  a arte às nossas vidas, no contexto do nosso espaço familiar, e ao mesmo tempo, poder partilhar com os amigos esta mais-valia, constituiu assim a força motivacional que ainda  hoje se mantém bem viva e atuante.

Na sua Coleção, qual ou quais são as obras preferidas?
Uma serigrafia de Artur Bual (expressividade do traço, revelador da força intuitiva de um olhar criador penetrante, capaz de nos revelar a realidade para além das aparências); várias obras de Cruzeiro Seixas (linguagem simbólica onírica, expressiva dos grandes mitos ocidentais) e de Cesariny (como se acedesse à realidade poeticamente) e a primeira edição do CPS, uma serigrafia de Manuel Cargaleiro (harmonia das cores).

Que lugar ocupa o CPS na sua família?
O CPS, mais não fosse pelas três décadas de casamento, representa hoje um espaço de efetiva aproximação e familiaridade com a arte. Numa espécie de trindade, em diálogo  com o livro e a música, a arte acolhe diariamente o nosso olhar lá de casa e desafia-nos, de forma generosa, com novos horizontes aprazíveis. Já não seríamos capazes de viver sem a presença significante das várias obras de arte: o nosso olhar para as obras e o ser olhado por elas, este diálogo permanente do olhar interativo faz hoje parte integrante do nosso espaço cultural familiar.

 ......................................................................................................................................................................................................................................................

 

VEJA TAMBÉM: