[ X ]

Ainda não está registado?

Registe-se no novo site do CPS e termine mais rapidamente as suas encomendas, aceda à sua Coleção e, se já é Sócio, utilize as suas quotas! 

Registo

Login

Esqueci-me da password

Ana Galvão

Angola

Biografia

Nasceu em Nova Lisboa, Angola. É licenciada em Direito e tem o curso de História de Arte. Cursou Gravura em Metal e Xilogravura com David de Almeida (Lisboa, 1982-85) no Atelier Experimental da Galeria Quadrum e Gravura em Pedra com H. Marçal (Lisboa, 1986) e Dacos (Lisboa, 1987) no Atelier - Cooperativa de Gravadores Portugueses. Processos de Mixed Media com Calado (Lisboa, 1991). Realizou várias exposições colectivas e individuais e recebeu os seguintes prémios: 1987, Menção Honrosa - Gravura “Ano Europeu do Ambiente”, Setúbal. 1º. Prémio, Galeria Viragem, Cascais; 1989, Menção Honrosa, 3ª. Exposição Nacional de Pequeno Formato, Cascais; 1991, 1º. Prémio Manuel Filipe, Galeria Viragem, Cascais; 1992, Prémio de Edição, III Bienal Nacional de Gravura, Amadora. Menção Especial do Júri, 1ª. Mostra Internacional, Ourense, Espanha; 2000, Prémio de Aquisição, VII Bienal / 1ª. Internacional de Gravura, Amadora e em 2001 o 1º. Prémio, 1ª. Bienal Internacional de Gravura Douro 2001, Alijó. Está representada no Museu do Pequeno Formato (Couvin, Bélgica), Museu de Setúbal (Portugal), Museum of International Contemporary Graphic Art (Noruega), Museu Municipal de Loures (Portugal), Centrum Miedziorytu (Lubin, Polónia), Câmara Municipal de Vila do Conde (Portugal), Taller Galleria Fort (Barcelona, Espanha), Câmara Municipal de Aljustrel (Beja, Portugal), Bureau of Art Exhibitions (Lodz, Polónia), Colecção do Banco Fomento Exterior (Angola), Câmara Municipal da Amadora (Portugal), Museu de Ourense (Espanha), Majdaneck State Museum , Polónia. Câmara Municipal do Alijó, Portugal. Está representada em várias coleções públicas em Portugal e no estrangeiro.

A Galeria Quadrum recebeu, em novembro de 2017, uma exposição antológica intitulada “Ana Galvão – O Gosto Solitário de Gravar”, com curadoria de Célia Bragança. A exposição oferece uma perspetiva continuada sobre a produção da gravura ao longo de 30 anos (1987-2017)

Ler Mais Ler Menos